Estratégias Nutricionais para Competições - individualidades


 

Para que um atleta atinja seu objetivo em uma prova, seja completá-la ou melhorar o tempo, é essencial que seja montada uma estratégia visando todos os fatores que, se não organizados podem se tornar obstáculos durante a prova. A alimentação e a hidratação são alguns dos fatores mais importantes neste sentido. O atleta deve elaborar, com o auxílio de um nutricionista, a sua estratégia de alimentação e deve testá-la, fazendo os devidos ajustes, até que encontrem a estratégia mais adequada para seu perfil e a competição. Estipulando os alimentos / suplementos que devem ser consumidos e a freqüência e quantidades de consumo. A fim de investigar os costumes alimentares de atletas em provas, foi realizado um estudo na Nova Zelândia (2012), que registrou os alimentos, suplementos e líquidos ingeridos por 18 dos 34 atletas que participaram da prova K4 (384 Km de ciclismo). Ao longo da prova havia pontos de apoio aos ciclistas, onde estavam disponíveis alguns alimentos, como banana, jujubas, água e isotônicos, além dos alimentos levados pelos próprios atletas. Após a comparação entre os dados coletados, os autores perceberam uma grande diferença entre os costumes alimentares dos competidores, não sendo possível estipular nenhum padrão entre eles. A tabela abaixo descreve os alimentos que obtiveram maiores ocorrências ao final da prova e o número de atletas que fizeram o uso de cada um deles.

Tabela: Número de Participantes que Consomem Alimentos e Bebidas Comuns

Categoria Exemplos Nº de Consumidores
Bebidas Esportivas Balance, Powerade, 13
Feitas em casa,
Hammer Perpetuem,
Leppin Enduro Booster
Água 10
Jujubas/Geléias Aeroplanes, jelly beans, 9
snakes
Gel de Carboidrato Leppin Squeezy, 8
Hammer Gels, Peak Fuel
Barras de Cereal Feitas em casa, 8
supermarked brand
Sanduiches Queijo, presunto, 8
Manteiga de Amendoim
Banana 7
Bebidas com Cafeína Café, Cola 6
“Cake” (Bolo) Frutas, Banana 3

Apesar da grande variação, os atletas tiveram algo em comum. Em média, houve um déficit de ingestão decalorias de 27% em relação ao gasto ao longo da prova. Será que os atletas de uma prova tão bem conceituada não fizeram um planejamento correto ao longo dos seus treinos?

Provavelmente não! Porém, é importante ressaltar que outros estudos já demonstraram que é praticamente impossível igualar o gasto e a ingestão calórica em provas longas. O que é importante nisso tudo então? O mais importante neste estudo é observar que a estratégia nutricional adequada é algo muito individual. Cada pessoa responde de maneira diferente aos estímulos de cada alimento ou suplemento. Por isso, a estratégia traçada para um talvez não seja a ideal para outro. A estratégia nutricional que será usada na prova será a mesma que você testou durante os treinos. Devem ser usados os mesmos alimentos e suplementos e respeitadas as frequências de consumo e quantidades. Não se assuste ou fique inseguro se, ao chegar na prova, ver uma série de novidades, diferenças entre a sua estratégia e a dos atletas ao seu lado ou colegas de treino. Tenha certeza que a estratégia que você esta seguindo é a ideal, pois foi desenvolvida para você e testada por você.

Postado em: Quarta-feira, 11 Março 2015 | Escrito por: Tatiana |

Vídeo em Destaque

Calculadora de Ritmo

Calcular

Distância percorrida:

Tempo gasto:

Ritmo:

Recalcular

Patrocinadores

Parceiros em destaque